quinta-feira, 4 de março de 2010

ATAQUES DE RISO

              Você nunca teve um? Nem quando criança? Daqueles incontroláveis, que só pioram com a censura ou reprimenda?
               Eu tive vários e lembro com saudades de cada um deles. Os motivos eram quase sempre fracos, ou nenhum até, o riso crescia como cascata, altamente contagioso e a gente ria até doer a barriga e as lágrimas inundarem os olhos. Tempo bom!!!
               Lembrei disso porque sinto falta de sorrisos no mundo em nossos dias. Cadê o sorriso dos meus filhos? Aquela risada gostosa, barulhenta, até inconveniente às vezes ? Dia desses um deles riu alto contando uma piada e eu até estranhei.
                Aonde anda o sorriso que sempre foi a marca registrada da minha mãe?
                E o meu então? Acho que até já esqueci do som da minha risada. Custo a acreditar que já gargalhei e tive dor no maxilar de tanto rir.
                Meu marido tinha uma risada tão alta quanto ele... que também silenciou.
               As crianças fazem pirraça, barulho, gritaria, mas não sorriem tanto quanto gostaríamos de ver e ouvir.
               Quem roubou o sorriso do mundo? E onde o escondeu? Ou será que foi só aqui em casa que as risadas diminuíram?
               E como é bonito ver alguém sorrindo de verdade! Aquele sorrisão que ilumina os rosto, acende os olhos, contagia!
                Que pena que o sorriso está se tornando uma raridade! Faz tanta falta no mundo!
                Vocês não acham?

4 comentários:

Renata disse...

Ola Maria Luiza como é bom rir de doer a barriga é mesmo a gente quase n ouve mais essas gargalhadas gostosas,sabe quando eu estava fazendo yoga ,numa fase bem difícil de minha vida o instrutor fez um trabalho conosco era assim:todo mundo deitado bem pertinho uns por cima dos outros no chão,ai ele deu uma gargalhada bem alto e todo mundo tinha que acompanhar,menina foi uma coisa de louco,todo mundo começou a rir sem parar de doer a barriga,e n dava de parar ,eu senti um alivio tão grande, foi uma troca de energia foi muito bom recomendo,bjs Renata.

Marliborges disse...

É amiga, também acho. Já falei algumas algumas coisas a respeito, lá no meu blog. (faça uma visitinha). Tenho umas idéias sobre isso e aos poucos, vou colocando no papel, ops, no lap. Mas, você tem toda a tazão, estamos sorrindo bem menos.
Beijo grande

Anônimo disse...

Você sabe que sinto falta de minhas risadas, era uma pessoa que vivia rindo não sei onde foi parar, talvez a responsabilidade de criar um filho, que as vezes tenho vontade de rir dele mas não posso se não perco a autoridade
beijos
iza

Eurico disse...

Sim, Maria,
rir ainda é o melhor remédio.

Abraço fra/terno.