sábado, 13 de maio de 2017

COMO É BOM TER MÃE E SER MÃE!

                          Hoje é um dia em que só tenho a agradecer.
                          Agradecer a Deus, aos Céus, ao destino, à vida!
                         Festejar o Dia das Mães junto aos meus três filhos e à minha mãe faz com que eu não tenha mais nada a pedir e só agradecer.
                         Um filho que atravessou terras e mares para me trazer seu abraço não tem preço! Mesmo que hoje esteja partindo, fica a reserva do afeto alimentando minha saudade até ele voltar.
                         Penso que esses dias disso e daquilo são criados para que os desatentos e os desamorosos parem para pensar, para prestar atenção, para valorizar as pessoas. Para os filhos verdadeiros, para quem recebeu amor e sabe retribuir, nem seria preciso criar um dia específico para abraçar sua mãe, para dizer que a ama, para lhe dar flores ou presentes. Já que existe, feliz de quem pode ter os filhos por perto nesse dia, feliz também quem pode abraçar sua mãe.
                          Nem todas as mulheres sabem ser mães. Creio que a maioria tem em si a semente fértil e produtiva da maternidade. Algumas, todavia, resolvem ter filhos porque “todo mundo tem”, ou por descuido, ou para ostentar aos amigos, ou para ter alguma coisa de sua, razões insuficientes para dar a vida a alguém, para colocar no mundo mais um ser desprotegido e cheio de recalques.
                           A experiência me mostrou que, em muitos casos, o amor filial é maior que o maternal. Filhos de mães bem problemáticas e irresponsáveis guardam um sentimento inabalável por suas genitoras, embora muitas vezes nem seja correspondido.
                          Há as mães que amam demais, que sufocam, que transferem aos filhos suas carências e frustrações e não os deixam desabrochar e caminhar com suas pernas.  Ainda existem as que rivalizam com a juventude dos filhos e resolvem assumir o papel de irmãs ao invés de mães.
                           Nesse dia a elas dedicado, façamos uma prece pelas mães que perderam seus filhos, pelas que velam nas cabeceiras dos filhos doentes, pelas que têm filhos especiais e matam um leão por dia para cuidar deles, pelos filhos que perderam suas mães, pelas mães que têm filhos presos ou que estão presas longe dos filhos, pelas que não tem um prato de comida para oferecer aos filhos nesse dia, pelas que mães que foram abandonadas nos asilos e nem nesse dia serão visitadas, pelas mães doentes.
                           Se você ainda tem mãe viva, abrace muito a sua, porque nenhum amor no mundo se compara ao que ela sente por você.
                           Se você é mãe e tem os filhos ao alcance do abraço, saboreie muito esse carinho, porque é ele que move as mães na vida.
                            Feliz Dia das Mães!






Um comentário:

Julio Cesar Moura disse...

Linda homenagem! Parabéns!