domingo, 22 de fevereiro de 2015

DOMINGO É COMPLICADO...



                          Muitas pessoas têm uma relação curiosa com o domingo. Não fujo à regra.
                          Se faz sol e não estou na praia fico contrariada.
                          Se vou pra praia e chove também fico.
                          Sou aposentada, domingo deveria ser um dia como outro qualquer para mim.  Acontece que sou avó de estudantes, cheios de compromissos e horários que ajudo a cumprir.
                         A melancolia dominical, no entanto, não se deve a nada disso. Penso que ela surge unicamente pelo fato de que dispomos de mais tempo para olhar pra dentro e enxergar coisas que nem sempre queremos ver.
                       Não sei como Buda conseguia ficar tanto tempo meditando... sem cometer suicídio. Devia ser uma meditação daquelas que o pensamento se detém apenas em cores, nada real.
                       Domingo é dia de sentir saudades, de remexer nas lembranças, de estabelecer comparações, de fazer comida, comer fora, ou pedir comida em casa, tudo com aquela sensação incômoda de deja vu.
                      Quem possui alguma crença ainda tem salvação. Vai para seu templo, reza e encontra sentido para tudo.
                    Dia bom para ler os jornais com cuidado, ou adiantar o livro, esta sempre a melhor parte do dia para mim.
                   Se der pra pegar um cineminha e se o filme for bom, melhora muito.
                   Caminhar na praia, com a água refrescando os pés e os pensamentos... não tem igual!
                   Reencontrar pessoas nas redes sociais, ler coisas interessantes, sentir ressonância das suas postagens também é agradável. Difícil é quando o povo resolve só aboborar... aí o domingo realmente fica com cara de domingo mesmo!
                   Quando eu morava numa casa (sem medo de assaltos), domingo era dia de bater a maionese, sentir o cheiro do carvão pegando fogo, ver a gurizada em volta aprontando e falando alto e depois curtir a caipirinha e o churrasco... mas daí já é ficar remoendo saudade e lembranças, o que caracteriza o domingo pelo lado da nostalgia.
                   Amanhã é segunda, tudo corrido e cansativo de novo, então, o melhor mesmo é aproveitar o domingo para fazer o que se queira, ou não fazer nada,  que é melhor ainda.
                    E chega de melancolia!








2 comentários:

Marilene disse...

Particularmente, não gosto de finais de semana, pois, como sou sozinha, fico sempre esperando um convite para fazer alguma coisa, senão me deprimo e, tendo várias opções, como pintar, ler, ver filmes, acabo não fazendo nada... Mas graças a Deus sempre o convite chega e acabo me divertindo com os netos!!

Maria Luiza Vargas Ramos disse...

Pois é Leninha, aqui sempre sou eu que preciso convidar... e preparar o almoço. Bom também, mas até que seria bom receber um convite de vez em quando. Bjos.