domingo, 10 de junho de 2012

INCÔMODAS CONVENÇÕES


               Tudo muda num ritmo alucinante, valores são descartados sem que se coloque outros no lugar, por outro lado certas coisas continuam enervantemente iguais, não se sabe porque.
               A cama de casal, por exemplo, foi criada por quem e para quê? Ao que se sabe, os monarcas tinham seus próprios aposentos (onde recebiam a esposa e as concubinas) e as rainhas, igualmente, desfrutavam de aposentos próprios, cheios de aias e mucamas, onde até os filhos eram levados apenas para cumprimentá-las.
                Os jovens adoram dormir juntos, "de conchinha", e alguns casais mais velhos também, seja por acomodação, hábito ou pelo prazer de dormir e despertar conversando.
                 Para transar qualquer cama serve (até de solteiro), portanto, não seria esta a finalidade principal da tal cama.
                  O que me conduziu a esta reflexão foi o fato de ouvir tantas reclamações, inclusive de casais que se querem bem, quanto à péssima qualidade do sono em virtude de incompatibilidades, digamos, "noturnas". Já nem cito o ronco, porque este é o maior fantasma que assombra principalmente as mulheres. Homens acima do peso, apreciadores de uma gelada e uma carne gorda costumam condenar suas parceiras a noites insones e dias irritadiços.
                   Além deste conhecido problema, há os que sentem muito frio enquanto o companheiro  morre de calor; os que preferem cobertor e os que só aceitam edredom; os que lêem na cama até dormir e os que só dormem se o quarto estiver  escuro; os que dormem embalados pelo ruído da TV e os que não suportam barulho para dormir; os que bebem água e fazem xixi no meio da noite e os que se acordam com o menor movimento na cama e mil outras coisas que, por si sós, justificariam o hábito de camas ou quartos separados para casais num mundo cada vez mais independente e individualista.
                  Mulheres executivas ainda trocam o sobrenome de sua mãe pelo do marido. E depois se separam e passam um trabalho danado para refazer todos os documentos outra vez.
                   Por que será que certas convenções são mais duradouras? Foi bem mais fácil aceitar o casamento sem virgindade do que imaginar um casal dormindo em camas separadas.
                    Vá a gente entender bem a cabeça das pessoas e as convenções sociais!

Um comentário:

Jeanne Geyer disse...

até pq excesso de intimidade cansa. imagina acordar com o outro babando no traveseiro, outros ruídos inevitáveis durante a noite, mau hálito matinal,etc etc... tudo o que a gente finge que não existe.
uma certa privacidade noturna acho que até seria melhor para o casamento.
bjs gelados...