domingo, 20 de julho de 2014

RECEITA DE AMIGO



              Não sou favorável a esses dias disso e daquilo. O apelo comercial é fortíssimo e o sentimento fica mais quantificado do que qualificado.
               Até hoje não decorei o tal Dia da Vovó, embora me considere uma avó digna de ser lembrada.
                Agora inventaram este Dia do Amigo, que nem sei por que é nesta data específica, se há uma razão especial, ou se alguém simplesmente inventou e começou a repassar.
                Não cumprimentei meus amigos e pretendo homenageá-los por aqui mesmo. Se não lerem é porque não  me leem, então, talvez não sejam tão amigos assim.
                Olha, amigo é coisa muito séria! Amigo de verdade vale mais do que um batalhão de parentes! Amigo de infância, então, parece que fica marcado a ferro e fogo no coração da gente!
                Felizmente, sempre tive uma boa convivência com vizinhos, colegas de trabalho, amigos e namoradas dos meus filhos. Alguns chegaram muito perto de uma verdadeira amizade até.  No entanto, parece que os amigos de infância vão se moldando conosco, aos poucos, com brigas, discussões, crises, ajustes e acabam quase irmãos, com um sentimento muito forte e eterno entre a gente.
                 Possuo uma meia dúzia de amigas que pouco vejo, pois ficaram nos pagos, pelas quais colocaria a mão no fogo sem medo e com quem sei que poderei sempre contar. Afora essas, muitas outras de uma boa camaradagem, outros bons colegas, vizinhos atenciosos e mesmo no mundo virtual alguns se destacam.
                 Se tivesse que descrever o amigo ideal, assim, tipo receita de bolo, como será que esse amigo seria?
                 Nada de chavões, inclusive, penso que o amigo de verdade pode até mentir para o amigo, quando é para lhe evitar um sofrimento. Nem sempre precisa ser completamente sincero na apreciação de seu corpo, suas roupas, suas aquisições e até seu (sua) namorado (a), uma vez que franqueza demais é falta de educação e não contribui em nada para a amizade. Respeitar o gosto pessoal do amigo talvez seja mais importante.
                 O que esperamos de um amigo é que ele não nos traia, não divulgue nossos segredos, não menospreze nossas conquistas, não morra de amores pelos nossos desafetos. Que as discussões e diferenças sejam apenas no campo das ideias e nunca encharcadas de ressentimento. Que ele sofra conosco, sinta sinceramente as agruras da nossa vida e, se possível, se empenhe em nos ajudar. A recíproca deve ser inteiramente verdadeira.
                 Feliz de quem tem amigos de verdade. Este nunca estará sozinho, em situação alguma.
                 Parece algo tão trivial, contudo, há pessoas que passam pela vida sem se apaixonar e também sem terem uma amizade verdadeira.
                 Coitados.
                 Um beijo a todos os meus amigos, daqui, dali, de acolá! Hoje e em todos os dias!






Um comentário:

HIPOCRISIA disse...

Olá Maria Luiza, gostei do teu texto, realmente estes dias disto dia daquilo são puramente comerciais. Grande abraço. Tenho a certeza de ter bons amigos, fiéis e verdadeiros lá no nosso distante Alegrete. São poucos mas são de fé.