sábado, 7 de setembro de 2013

PÁTRIA AMADA, BRASIL!




              Que filho um dia não se injuriou contra os pais? Ou até desejou (por algumas horas) ser filho de outras pessoas, mais permissivas, mais boazinhas, mais tolerantes?
               Pois é, muitas vezes nos rebelamos contra o Brasil, principalmente em tempos de desmandos, roubalheiras, violência, corrupção.
               Acontece que o Brasil, este país de dimensões continentais, cheio de matas, mares, rios, animais de todo tipo; com clima variado e festas em profusão, tem um povinho diversificado, passional, amoroso, pouco afeito aos livros (que as exceções sintam-se homenageadas) e que procura sempre um jeitinho mais rápido e mais fácil de fazer as coisas, de conseguir o que quer e ainda sobrar  tempo para fazer o que gosta.
                Já fui patriota até a medula, desfilava como um soldadinho na Semana da Pátria, sabia todos os hinos pátrios de cor e só tirava dez em Educação moral e Cívica.
                Depois me tornei crítica, comparando o país que eu tinha com outros que lia nos livros, ou lograva visitar.
                Ainda percebo muita coisa que poderia ser melhor, mais no povo que no solo pátrio, este digno de todos os poemas, canções e romances que lhe dedicaram.
                A verdade é que 7 de setembro, para mim, significa muito mais do que a Independência do Brasil, já que a História tem lacunas e interpretações. Para mim é, sobretudo, o Dia do Brasil, dia do aniversário da Pátria e ainda me emociono sempre que vejo a bandeira verde-amarela tremulando em qualquer lugar.
                 Não sabemos ao certo se o Brasil foi “descoberto” ou achado; se a independência sucedeu da forma que estudamos, mas não temos dúvida que esta é a NOSSA PÁTRIA AMADA, BRASIL!


Um comentário:

Marli Borges disse...

Nossa pátria mãe gentil é você meu Brasil!
É Maria Luiza, o problema não é a mãe, -- a gente sabe --, mas o caráter do restante da familia: filhos, irmãos, tios, sobrinhos e por aí vai. Também me emociono, meu sentimento de pertença é bastante forte com as coisas do meu país. Quer saber? ainda tenho esperança. Bjs amiga, lindo texto.