segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

GOSTO NÃO SE DISCUTE




Todo mundo fala em liberdade, clama por liberdade, mas estão sempre patrulhando os outros.
Quer dizer, sou livre para fazer o que eu quero e para criticar quem fizer diferente. Ora bolas! Isso não é liberdade. Isso é ditadura e das brabas!
Há que se ter muito jogo de cintura e tomar muitas precauções para frequentar as redes sociais sem perder os amigos, nem precisar mudar de idéia a cada publicação deles. Respeito quem usa, quem não usa, quem tem medo de se incomodar, quem tem rabo preso, só não respeito quem usa as ditas redes para sacanear os outros, ou então tentar colocar goela abaixo suas idéias em seus contatos.
Eu, por exemplo, não gosto de futebol. Não vejo a menor graça numa partida desse esporte. Gosto menos ainda de ver esses jovens semi-analfabetos, cheios de dinheiro, esbanjando gafes e luxos e se achando os tais. Mas tem quem goste. E como tem! Fazer o quê? Eu respeito.
Adoro ler! Livros, jornais, revistas são meu lazer preferido. Prefiro escrever a falar no telefone e sei que estou na contramão da maioria. Cada um com seus gostos.
Acho que as redes sociais servem para aproximar e reaproximar as pessoas e não para uniformizá-las.
Sempre assisto muitos programas “de fundamento” na TV e também as novela das 21h. E daí? Qual a diferença disso para um bom romance, a não ser a delícia do cheiro do papel e da imaginação?
Estudei até o último nível que poderia estudar no Brasil e, sempre que tenho vontade, assisto aqueles vinte minutos de BBB após a novela das 21h. Não me sinto diminuída em nada por isso, não emburreço, não esqueço o que aprendi, sequer me torno uma pessoa pior por isso. É um programa como tantos outros e, nem sei por que, tornou-se o medidor cultural das redes sociais, como se apenas o fato de não assisti-lo suprisse toda carência cultural das pessoas.
Poderia assistir documentários sobre animais, filmes de época, mais um jornal político e econômico, orquestras sinfônicas, programas de auditório e nada seria questionado. Mas BBB não! Por que a vida dos chimpanzés é mais interessante do que aquela gaiola de gente?
Ah minha gente, tenham paciência!
Ditadura não!
Cada um paga sua TV por assinatura e vê o que bem entende.
É ou não é?!



Um comentário:

Jeanne Geyer disse...

pois é, eu estava pensando se vou assistir ou não, este ano estou meio cansada do formato, mas se der vontade assisto mesmo, e dane-se a turma da patrulha,kkkkkkkkk