quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

PÔR DO SOL EM PARIS

    Ufa! Enfim um título para fugir dessa mesmice hormonal que ronda os meios de comunicação.
    O que significa um pôr do sol em Paris? Para quem significa? 
    Na verdade, o título surgiu da fragrância de um spray desses desodorizadores de ambientes.
    Engraçado que eu estive em Paris, muito menos do que gostaria de ter estado, mas estive e a fragrância não me trouxe nenhuma recordação de lá, mesmo porque cada recanto de Paris deve ter seu cheiro característico. A pergunta é: o que faz as pessoas comprarem este perfume específico? Curiosidade? Nostalgia? Sonho de lá estar?
    As mesmas pessoas que desfilam suas riquezas nas praias daqui, que cantam essas musiquetas apelativas com coreografia obscena, que passam a noite assistindo uma dúzia de desconhecidos numa convivência banal e desorganizada, essas pessoas, se fossem a Montmartre, a Versailles, ao Louvre, à torre Eifel, a um passeio de Bateaux-Mouche pelo Sena, ao Moulin Rouge, a um passeio pela Champs Elisées talvez ficassem indiferentes, porque  um simples cafezinho em Paris pode significar muito para determinadas pessoas e  nada para outras. Somos diferentes. Tivemos uma criação diferente, com valores diferentes. Somos do tempo em que as famílias educavam e a escola aprimorava.
      Hoje não tem nada disso.
    Os que têm recursos para uma boa educação desperdiçam em ostentações, beberagens, drogas, baladas, como se a vida fosse só o hoje e só o prazer valesse a pena.
      Os que não têm nada na vida matam crianças por R$ 350,00, sem remorsos, sem piedade, ocos, despidos de qualquer resquício de humanidade.
      Por isso, hoje meu dia começou naquela parte mais preciosa das minhas lembranças, do momento em que realizei um sonho da vida toda, de respirar o mesmo ar dos parisienses. Apesar da tal fragrância não ter me dito nada.
     Um bom dia a vocês! E que sejam acompanhados de suas melhores lembranças também!

    

2 comentários:

Ivana Maria disse...

Oi, minha querida. Como sempre, ler o que escreves dá-me um grande prazer. Busco aprender contigo essa técnica que muito tem a ver com a sensibilidade de escolher bem as palavras. Adorei o texto. Sempre ouvi dizer que de todos os sentidos humanos o olfato é o que mais evoca as lembranças. As minhas, principalmente nessa época, são evocadas por um perfume da minha infância, o cheiro das mangas maduras. Um grande abraço.

Jeanne Geyer disse...

minha melhor lembrança é Triunfo, a terra onde nasci. meu maior prazer caminhar pelo bairro e encontrar os amigos e conhecidos como se fosse uma cidade de interior.
Gostaria de ter ido a Paris e certamente apreciaria muito, pois que gosto da beleza e das artes, mas vivo muito bem com o que tenho.
Beijos