domingo, 16 de janeiro de 2011

TIPOS HUMANOS

            Assisti, ontem, no noticiário da TV, um pedreiro da região atingida pelas chuvas no Rio, após perder a família toda, apresentar-se ao Corpo de Bombeiros como voluntário para auxiliar no resgate das vítimas isoladas, numa região que ele conhecia bem. O pobre homem, com o rosto crispado e marcado pela dor, só conseguiu chorar ao recolher, no local onde ficava a sua casa, os brinquedos do filhinho de dois anos engolido pela lama.
          Assisti , no mesmo dia, ao vivo, um jovem cruzar o sinal vermelho sem diminuir a velocidade do carro e, quando chamado a atenção pela buzina de um carro que atravessava o sinal verde em sentido contrário, estacionar sua máquina mortífera e chamar para a briga o motorista que estava certo.
        Gente assim, Deus me perdoe, deveria ser engolida nessas catástrofes naturais, ao invés de tentos inocentes, pois não fazem falta nenhuma no mundo e só dificultam ainda mais a sobrevivência de quem tenta fazer as coisas certas.
        Viram o final da novela das 9h da Globo? Viram que belo exemplo a vilã Clara deu? Viram que maravilha para adolescentes e jovens ainda em formação assistirem?
        Que linda a cena da morte do Saulo! Sexo, drogas, facadas, tiros, roubos, pedofilia, prostituição, incesto, taras, assassinatos. Sem dúvida, uma mistura infalível para estes seres sub humanos que pipocam por aí.
        Agora, no Big Brother, tudo indica que a mistura será ainda mais edificante, pois parece que a cultura foi fator de eliminação dos candidatos. Quem conseguisse tratar de um assunto com fundamento estaria fora. Palmas para quem substituiu  Roberto Marinho, que proibia terminantemente certos temas e certas baixarias! Finalmente, a Globo vai conseguir mais anunciantes, porque não perderá espectadores para os canais pinga sexo e sangue de outras emissoras.
         Ainda bem que tenho TV, por assinatura e posso assistir programas de outras partes do mundo onde os valores éticos e morais foram preservados!
         E quem não tem?!

4 comentários:

Jeanne disse...

Já divergimos anteriormente nestas questões de comportamento e de influência da TV nos jovens e crianças.
O JP assiste a tudo e é uma criança responsável, bondosa, prestativa e muito, mas muito inteligente. nada indica que tenha sido contaminado pela TV.
quando ele escolhe, vai para o discovere (é assim que se escreve?)
porque é curioso e guarda tudo na memória, ou fica jogando no computador jogos pra lá de violentos. O JP é a calma personificada.
as crianças são bem mais inteligentes e capazes do que a gente supõe.
Já assististe no fantástico a turma sei lá que nr? são jovens do ensino médio, com os mesmos sonhos e esperanças da gente na época. Simples pelo meio em que vivem, mas percebe-se neles bons valores e uma preocupação com o futuro, que é incerto, ao contrário do nosso que estava praticamente estabelecido.
Os jovens que conheço tem ótimos valores, se apaixonam, preocupam-se com o futuro. Tudo normal.
Para eles, BBB e novelas é ficção e nada mais. O exemplo ainda é o dos pais.
Eu acredito no ser humano apesar das maldades. tem muita gente boa fazendo o bem sem alarde de mídia.
Ufa! virou uma tese, não era para tanto,rsrsrs
Beijos

Paulo Sergio disse...

Para se ver o que mostrou Passione,não precisava ser escrita uma novela, basta assistir o "Datena", está cheio de histórias semelhantes. A novela começou com censura de 12 anos, no final estava com censura de 14, bem na segunda faze da negação e com a permissividade dos pais de hoje tenho certeza que 80% dos jovens acharam "maneiro" a Clara ter escapado. Hoje o mais importante para os meios de comunicação no Brasil é o faturamento e não a contribuição que podem dar para a preservação dos princípios e bons costumes. Prova disto é que o telecurso é as 6:00 horas da manhã e o intervalo comercial que deve durar no máximo 3 minutos, no intervalo da novela tinha no mínimo 5. Agora com a morte da Da. Lily as coisas devem degradar ainda mais. O que nos restou de bom na novela, foi a linda paisagem da toscana.

francari disse...

Minha cara Maria Luiza:
A televisão, assim como o cinema e revistas, não é formadora nem deformadora do caráter das crianças. Meninos de minha época bincavam de cowboy e, nem por isso, ao crescer compraram um revólver e saíram matando por aí. Sabíamos dstinguir a realidade do faz de conta. As crianças de hoje tem igual capacidade; falta-lhes, talvez, o exemplo e a transmissão de valores, que começa na família e continua na escola, no templo e no meio social em que vivem; pais se transformaram em "amigos" dos filhos; professores, em profissionais da educação e o meio social já nada cobra de ninguém; assim, fica difícil a uma mente em formação distinguir a realidade e o faz-de-conta.
Há uma inversão total de valores, com crianças agredindo pais e professores e o estado (aético) se assenhorando do direito de cobrar comportamentos corretos e impor castigos às transgressões.
A situação é tão caótica, a ponto de pessoas na faixa de 25 a 40 anos, se negarem a procriar, não por fuga às consequências do ato, mas por não verem condições de bem educar os filhos, dadas as situações supra citadas.

Há que mudar-se os adultos primeiramente. Um abraço e o desejo de melhores dias!

Maria Luiza Vargas Ramos disse...

Deus do Céu! Eu sabia que meus leitores eram "da pesada" , mas não podia sonhar com tanto!
Muito obrigada pelos belos, longos e elucidativos textos, cada um com sua opinião, como deve ser, todavia fazendo meu texto crescer, extrapolar, assim como deve acontecer aos textos "com fundamento"
Muito obrigada aos três comentaristas e um grande abraço!