sábado, 27 de março de 2010

OS HIPERSINCEROS

               Já dizia meu avô Eduardo Vargas que "sinceridade demais é falta de educação". Ele se referia àquelas pessoas que diziam sempre tudo o que pensavam e queriam para quem quer que fosse, mesmo sabendo que poderiam magoar o interlocutor.
                Eu detesto mentira e falsidade, embora, muitas vezes, tenha calado para não ferir ou deixado de ser absolutamente sincera pelo mesmo motivo.
                O discurso político bem feito é demagógico, mas pode ser bonito; assim como o discurso dos advogados brilhantes nos tribunais.
                 Para tristeza de muitos e alegria de outros tantos, daqui a poucos dias termina mais um reallity show da rede Globo. O penúltimo paredão está formado por um gay e um gauchão. É mole? E eu aqui me arriscando a perder leitores falando nesse programa e ainda dando opinião.
                Para mim, que tenho grande orgulho das minhas raízes riograndenses, o tal de Marcelo Dourado não pode ser considerado representativo do povo gaúcho, até porque vive no Rio de Janeiro e é lá que parece ter se encontrado mais.
                 Sinceramente, acho que eu conviveria com mais facilidade com Dicésar do que com Dourado, pois preferiria aturar as puxações de saco do primeiro do que ver o outro socando o chão, espumando de raiva, erguendo a voz e mandando seus desafetos calarem a boca. Sem falar nos cuspes, nos arrotos e demais escatologias que ele imagina fazerem parte das características do nosso povo.
                  A sinceridade é uma nobre e necessária virtude, só que não para ser usada como juízo de valor e troféu de grosseria.
                  Dos que restaram na casa, palmas para a Fernanda, que demonstrou ter um preparo físico admirável e deu um golpe de mestre nesta última indicação; palmas para o Cadu, que foi bom rapaz do início ao fim e deve ser assim mesmo e palmas para o Dicésar, mais velho, mais feio e mais humilde que os demais. E que desses vença o melhor!
                    Agora, se Dourado e Lia ficarem para a final não me surpreenderei, pois meu gosto nunca bate com o do povão e nunca voto mesmo.
                    Mas que fique claro - os gaúchos, de maneira geral, são muito mais educados, mais simpáticos e mais cavalheiros do que o tal rapaz. Podem estar certos disso!
               

Um comentário:

Jeanne disse...

Eu estou quase "apanhando" por aqui.
Por conta do nosso bairrismo que bem conheces, sou minoria pq estou torcendo pelo Dicesár também.
Mas o povo por aqui está meio cego, só se fala em Dourado, esquecendo o que tu colocaste muito bem, ele não representa o gaúcho verdadeiro.
Mau caráter, prepotente,arrogante, no inicio vestiu capa de cordeiro, mas já caiu.
Ele e a Lia precisam é de tratamento psiquiátrico urgente!
Aliás, sem ironia nenhuma, é bom que Dourado perca de novo, vai ser bom para ver se aprende a ser mais humilde, se é que aquele ainda tem solução...
Um homem daquela idade dizendo numa festa que está com vontade de sair por aí fazendo arruaça!
Ninguém merece.
Olha só o dircuso,rsrsrs
beijos