terça-feira, 8 de março de 2011

SER MULHER É ...

            Ser mulher é ter peito e não ter "pinto". O resto é perfumaria.
          O que os médicos procuram no ultrassom das grávidas para saber o sexo do bebê?
          O que procuramos na barriga dos animais para saber se são machos ou fêmeas?
          Então, pra que esta estupefação?!
          Ou será que as mulheres não se orgulham de sua anatomia? Que concordam com a tal "carência do falo" que os gregos antigos nos atribuíam?
          Muito já foi dito sobre a mulher, eu mesma tenho muitos textos cantando em verso e prosa nossa força, nossa função multitarefa, nossa resistência à dor, nosso amor ilimitado.
          Hoje, com aquela luz que só a maturidade dá, vejo que existem mulheres e mulheres, nem todas santas, nem todas fortes, nem todas justas e solidárias, nem mesmo todas com aquela dose de ternura que coube ao segundo sexo.
         Mulheres são diferentes de homens. Por conta disso ambos se completam, formam casais, geram filhos e a humanidade vai-se preservando.
         Não cabe aqui enumerar estas diferenças, mesmo porque são de conhecimento público, tanto quanto a presença ou ausência de seios e "pinto".
         Alguns homens subtraem seu pênis, tomam hormônios, colocam silicone e se julgam mulheres. Terão perdido a força física? Terão adquirido a capacidade de prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo? Sentirão aquele amor desmedido, incondicional, inenarrável por seus rebentos?
         Por isso e por muito mais, abraço hoje minhas companheiras, que nasceram com a sementinha de seus seios e sem aquele "rabinho" entre as pernas.
          Já que resolveram dedicar um dia a nós, abracemo-nos e nos cumprimentemos com aquele carinho peculiar, de mãos suaves e beijos que mal roçam as faces, sorrindo com os olhos e dizendo umas às outras:
           - Parabéns!

5 comentários:

Análises literárias, poemas, poesias e pensamentos disse...

É amiga, obrigada pela homenagem. Não importa se já atingimos ou não a independência, em todos os sentidos; mas certamente um homem jamais chegará a nossos pés. Afinal de contas, Deus nos deu o dom de gera-los.

Helvis Duarte disse...

Maria, se vc quer ser de fato romancista, desista de ser maniqueísta, desista principalmente de ser moralista. Boa sorte.

Maria Luiza Vargas Ramos disse...

Helvis, não costumo responder os comentários, até por falta de tempo.Mas achei que lhe devia uma explicação.
Olha, não sou moralista, muito menos preconceituosa, meu texto apenas quis fugir do lugar comum, do endeusamento das mulheres, daqueles adjetivos repetidos à exaustão.
Penso que, se meu texto pecou, foi por ser redutor, simplista, todavia o objetivo não era o de excluir, mas o de desmitificar.
Obrigada por sua visita, por seu comentário e por sua crítica.
Volte sempre!

Jeanne disse...

Ops! A internet é assim mesmo, a gente tem que explicar tudo muito bem, até porque na conversa frente a frente, podemos observar as expressões, aqui só contamos com as palavras, e uma vírgula mal colocada pode gerar mal entendidos...
Mas quem tá na chuva é pra se molhar,rsrs certa vez fiz um grande amigo depois que ele fez uma critica no meu blog e eu reconheci que não tinha explicado tudo, e fui explicar pra ele. foi muito legal.
bem, diferente de ti, nem curto mais este tal de dia das mulheres, sei que ainda tem muita discriminação, mas e daí? Todos os diferentes da "normalidade" seja por deficiencias fisicas ou mentais são discriminados, homosexuais, negros, e por aí vai.
estamos longe de uma vida ideal, mas a gente vai levando, como diz nosso Chico.
Parabéns por seres esta mulher maravilhosa, forte e batalhadora, além de inteligente,etc...
Beijos :)

francari disse...

Gostei do texto; sou mulherófilo (existe isto?) inveterado e gostei do texto que simplifica e reduz a diferença entre sexos ao essencial (e quão difícil é chegar-se ao essencial).
Parabéns pelo texto e pelo dia.