quinta-feira, 17 de março de 2011

BANDIDO NÃO TEM IDADE

           Existem talentos, aptidões, inclinações que se manifestam numa tenra idade. Estou a crer que banditismo também. Ou você não conhece nenhuma criança malvada, que maltrata animais sem nunca ter sido ensinada a isso, que rouba em sua própria casa, mente sem necessidade e agride os amigos gratuita e maldosamente?
        Minha experiência com alunos demonstrou que há realmente algumas personalidades incorrigíveis! Sem solução.
        É claro que o meio pode amenizar ou piorar as coisas, que a situação familiar é muito significativa, todavia, tem criança e jovem que nem precisa de condições adversas para ser uma verdadeira peste. É ou não é?
         Estou farta de ver BANDIDOS com tarja de proteção nos olhos nos jornais, tripudiando sobre tudo e todos e recitando de cor e salteado a tal lei do MENOR, cuja principal contribuição foi a de tornar ainda mais refém uma sociedade vilipendiada por leis injustas, que encontram no cidadão honesto sempre o culpado por todas as mazelas que esta gente inconsequente cria, despejando no mundo, sem critério, sem condição, sem vontade, sem responsabilidade, verdadeiras fornadas de futuros delinquentes.
         Está chocado? E como será que ficam as famílias que recebem seus pais e seus filhos assassinados por essa corja de menos de dezoito anos?
       Até quando os bandidos "maiores" vão colocar a culpa ou a arma mortífera nas mãos dos "menores" para que eles fiquem alguns meses recebendo sopa e conselho nesses órgãos de faz-de-conta-que-recuperam-alguém?!
       É um absurdo que a sociedade não se mobilize, não pressione, não cobre uma pena maior para esses homens e mulheres de barba na cara e no corpo, disfarçados de crianças, amparados por uma lei ingrata e burra, que nos torna cada vez mais vulneráveis e a eles mais aproveitadores.
       Esses "anjinhos" estão matando até professores que ousam protestar contra o tráfico nas escolas e a putaria generalizada que acontece em todos os ambientes frequentados por eles, inclusive as salas de aula.
       Claro que existem jovens maravilhosos, claro que tive alunos inesquecíveis, mas hoje o assunto não é com eles e sim com esses pivetes que passam numa moto com uma pistola no bolso e matam até mesmo por esporte, por vontade de ouvir o barulho da arma e o grito de um inocente.
       Até quando vamos chorar em silêncio, nos indignar em voz baixa e nos calar no momento do protesto? Até que um deles atravesse na nossa frente ou na frente das pessoas que amamos?
        Deus queira que não!

5 comentários:

Ivana Maria disse...

Compreendo perfeitamente a sua indignação e a sua revolta. Também sou professora e, embora não tenha vivido ou presenciado, também acompanho através mídia cada vez mais casos de professores tornando-se reféns de alunos. Todavia, posso garantir-lhe que na educação infantil não é possível olhar para uma criança e enxergar nela um talento inato para ser bandido. É possível sim, assisti-las reproduzindo o que aprende com os adultos que estão ao seu redor. Avaliamos então que a medida em que vão sendo educada, ou mal educada, vão aprimorando a maldade, a ignorância, o egoísmo. Gostaria que lesse o meu texto ESTÃO VIOLENTANDO OS NOSSOS FILHOS. bjs, minha querida.

cristiano RB disse...

A educação sempre é a "desculpa" para as barbáries, mas estamos cheios de marginais diplomados e cavalheiros favelados. A impunidade, em casa e na rua, é um trampolim para algo sempre mais cruel. A ausência e conivência dos pais, diplomados ou favelados, jogam nas ruas milhares e milhares de delinqüentes todos os dias. Pra passar a mão na cabeça, já bastam os "pais". Agora a polícia precisa intervir com rigor e tratá-los como assassinos cruéis que são.

francari disse...

Arme-se e aja de acordo com a lei... de Talião: olho por olho, dente por dente, etc...

Lino Tavares disse...

Esse comentário, como todos os que são chancelados por você, amiga Maria Luiza, é procedente e oportuno. Estamos realmente nas mãos de bandidos, que usam os artifícios da impunidade para continuarem delinquindo. Essa de colocar armas nas mãos de menores, para a pratica de crimes praticamente impunes, é mais ou menos parecido com o voto aos 16 anos, num país em que a grande maioria dos que já passaram dos 20 sequer sabe votar. Se soubesse, Collor, Maluf e todos os que se envolveram no mensalão jamais teriam voltado a colocar os pés no Congresso. Precisamos, com urgência, de uma Revolução Branca neste país.
Bj no coração. Lino Tavares

Anônimo disse...

Olá Maria Luiza nao sei se lembras de mim, mas sou do Alegrete e fui colega do Tiberio no IEOA. Te conheço lá da terrinha e lendo teus comentários posso dizer que concordo plenamente com tudo que escreves e posso afirmar continuas a mesma pessoa, contestadora, indignada, altiva e principalmente viva e participando ativamente do nosso dia a dia. PARABENS.
Abraços
Paulo Sergio Pierry Coimbra