quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

HAPPY NEW YEAR!




                    Este texto não se pretende politicamente correto, por isso, ousei titulá-lo em inglês, numa forma que sempre me ocorre quando penso em ano novo.
                    Pensei em tantos desejos para 2015 e, ao mesmo tempo, constatei que pouco diferem dos desejos do Natal, ou daqueles que manifestei em anos anteriores.
Parece que a humanidade está sempre em busca das mesmas coisas: saúde, paz, amor, conforto material e um ou outro sonho.
                    É claro que faço questão de pedir tudo isso para a minha família, meus amigos, toda gente, no ano que se inicia; todavia, vou me permitir ousar mais, sonhar com coisas menos possíveis, assim como fazem os jovens, que mal realizam um sonho e já colocam outro, ainda mais mirabolante, no lugar. Talvez essa seja a forma correta de se viver sem estagnação.
                    Profissionalmente, já não pretendo muita coisa, pois estudei até onde havia o que estudar em meu país, aposentei-me no último nível do quadro de carreira do magistério e, para ganhar mais, só começando de novo e esquecendo que existem lousas e giz. Como escritora, quero muito ainda! Já tenho o reconhecimento dos leitores, mas preciso que muito mais pessoas tenham acesso aos meus livros e possam conhecer minha escritura. Devo logo escrever o romance que está emaranhado na minha cabeça e ganhar alguns prêmios importantes nos concursos nacionais, para me sentir realmente aceita nesse mundo das letras, onde sempre vivi, seja de um lado, seja do outro.
                     Filhos mais amorosos, mais queridos, mais amados do que esses que a vida me deu, não poderia pretender. Noras bonitas, empreendedoras, amigas, fazem muito bem em qualquer família. Netos mais lindos, mais fofos e mais mimosos também não encontraria.   Uma mãe sábia, alegre, acolhedora como a que eu tenho é uma dádiva inigualável, assim como ter irmãos inteligentes e solícitos. Um marido compreensivo, parceiro, tranquilo, sensível, amigo de verdade é muito bom ter ao lado. Enfim, nesse quesito familiar, há muito mais a agradecer do que a pedir. 
                       Por isso, vou partir logo para os sonhos mais ousados e, se realizar um deles que seja, já poderei listar outros maiores para o ano seguinte. Assim como fazia alguns anos atrás. 
                       Conhecer o leste europeu continua nos meus planos. Andar na neve também. Mergulhar nos mares do Caribe, passear pelas ilhas gregas, provando a deliciosa e saudável dieta mediterrânea no Mediterrâneo.
                  Uma casa ampla, com uma sala só para o piano e meus livros, sem vizinhos em cima, ou embaixo, com um lindo jardim, uma piscina de águas claras e muita fruta no pé sempre foi um sonho, continua sendo. Hoje, só em condomínio fechado, por medo da violência, mas a razão maior de não tê-la é pouca grana mesmo. 
                      Trazer meu filho caçula de volta, para perto da gente, sem prejudicar sua bela carreira profissional. Ah como seria bom!  
                      Emagrecer sem ficar flácida, num passe de mágica eliminar qualquer resquício de celulite e todos os vasinhos e varizes das pernas; aprender a lidar com meus cabelos crespos sem desesperar; recuperar o tamanho dos olhos e a firmeza das pálpebras para maquiar, além, é claro, de milagrosamente recompor o pedaço da retina que se rasgou.  Ler sem óculos seria espetacular!
                     Dirigir pela cidade e pelas praias em terceira, quarta e quinta marchas, sem engarrafamentos. 
                    Provar pratos deliciosos, pequenas porções de sabores inigualáveis, ao invés do feijão com arroz de sempre (que também é gostoso).
                    Viver cercada de gente sincera, de bom astral, de mais silêncios que tagarelice, muita cultura e sensibilidade, bom papo, principalmente na área da literatura, das artes, da música.  
                    Nunca mais ouvir falar de guerras, de bombas, de tragédias, de violência, deixar o espírito descansar sem sobressaltos e se elevar desse mundo cão e da vida como ela é.
                    Enfim, que venha 2015, 2016 e muitos anos! E que as previsões sejam as melhores!
                    Que cada um, inclusive eu mesma, consiga realizar pelo menos um dos seus sonhos e que a vida nos aproxime cada vez mais de quem vale a pena, de quem pode somar conosco e multiplicar os momentos bons.
                    Happy new year!






Nenhum comentário: