domingo, 4 de março de 2012

ESSAS MULHERES MARAVILHOSAS!



                  Gosto muito de viajar! No mínimo uma vez ao ano consigo dar uma escapadinha para ver gente e lugares diferentes, sair da rotina, esquecer os problemas, renovar as energias.
                   Ultimamente, tenho preferido as estâncias hidrominerais, pelo benefício das águas, pelos belos hotéis com todas as refeições (e que refeições!) e, sobretudo, pela natureza preservada, ar puro, canto de pássaros, rios, lagos e córregos cheios de peixes. Assim é Termas de Jurema, no Paraná, um dos destinos desta minha nova fase. De manhã e à noite esfria, quando não é Verão,  mas durante o dia o céu azul e o sol glorioso compensam tudo.
                    Piscinas aquecidas, pescaria, caminhadas, massagem, ginástica, bicicleta, cavalos, charretes, shows e muita dança na boate todas as noites, com músicas “dançáveis” e ainda rodas de viola junto a imensas lareiras. Para mim, são excelentes programas!
                   Da última vez, o que me chamou a atenção foi a quantidade de mulheres que chegam em barulhentos grupos, com um ou dois homens deslocados entre elas, suportando as brincadeiras e sendo cuidados pelas companheiras de viagem. Por onde andam os maridos destas mulheres? A maioria é viúva, infelizmente. Passaram anos servindo a um marido muitas vezes exigente, machista, desanimado, teimoso, que sempre resistiu a seus convites para começar a se cuidar, abandonar os vícios, dançar, ser um pouco mais alegre. E se foram, deixando para elas uma pensão que, bem administrada, lhes possibilita viajar em grupo duas ou três vezes por ano. Pena que não puderam compartilhar das coisas boas da vida juntos, mas fazer o quê? Elas bem que tentaram...
                     Nos grupos que lá estavam merecem destaque as “cabeças brancas” (entre 70 e 90 anos), que se apresentam sem preocupação excessiva com a aparência física ou com as roupas, sempre aperitivando com uma caipirinha e algum tira gosto, almoçando e jantando (bastante) com vinho tinto ou cerveja preta e dançando até fechar a boate às 02h00min com os rapazes contratados pelo hotel.
                      Por essas e outras concluo que longevidade combina, sobretudo, com alegria de viver!
                      A genética influi, uma boa alimentação e exercícios físicos ajudam bastante, mas o verdadeiro segredo de viver muito e VIVER BEM está no sorriso, na leveza com que encaram a vida, na paciência, na tolerância e no bom humor.
                       Sem sombra de dúvida!

2 comentários:

Ivana Maria disse...

Que legal, amiga. Fiquei de cá imaginando e viajando contigo na narrativa que fizestes. Que bela viagem! Pude constatar em uma das poucas grandes viagens realizadas pela minha mãe,já depois de idosa, o quanto viajar lhe fizera bem, lhe rejuvenescera. Fico feliz que as pessoas de idade, depois de suas aposentadoria, digamos assim, tenham alcançando impor o seu valor na sociedade e desfazer um velho ditado daqui do nordeste: "Lugar de velho é fundo de rede". Lugar de idoso é sim usufruindo o mundo que ele tanto ajudou a existir. Um abraço.

aldema ( www.correndomundo.blogspot.com ) disse...

Gostei muito do teu texto, Maria Luiza. Lembrou-me uma amiga que costuma dizer: " mulher não tem idade; ela tem ou não tem é brilho no olhar".
Parabéns antecipados pelo dia 8/março.Bjs