sábado, 4 de dezembro de 2010

ESTRANHA MODERNIDADE

            Sábado chuvoso, finalmente um tempinho de ócio criativo e resolvi dar uma passada pelos poucos blogs que costumo visitar e seguir.
          Deliciei-me com o da minha amiga Fernanda, lá de Portugal, sempre cheio de boas idéias e lindas imagens (o nome do blog é "Mãe e muito mais" e o link se encontra aqui ao lado).
          Qualquer brasileirinho, com ou sem Bolsa-escola, sabe que o Brasil foi descoberto e colonizado por Portugal. Hoje em dia, no entanto, às vezes parece que somos mais "modernos", mais adiante no tempo e nos costumes, como se tivéssemos superado os colonizadores, ainda que negativamente.
          Fernanda relata, passo a passo, seus preparativos para o Natal e me revejo fazendo coisas muito parecidas com meus filhos, quando tinham a idade dos filhos dela. Sou capaz de "enxergar" a purpurina brilhando na bochecha do Kadu quando confeccionavam os cartões de Natal e a bagunça de tintas e cores do Cristiano e ainda o capricho  dos desenhos do Luciano.
          Só que essas coisas parece que não acontecem mais nos lares brasileiros. É tudo comprado pronto, os brinquedos brincam sozinhos, o vídeogame substitui todos os programas familiares e a TV tem programação infantil até de madrugada.
          Fernandinha é muito especial e vê-se que suas amigas portuguesas compartilham de suas idéias, porque comentam muito cada sugestão, cada doce, cada arranjo, cada passeio que ela faz com a família e relata no blog.
          Deve ser muito bom viver num país sem violência, sem miséria, sem submundo. Pelo menos pode-se ligar a TV sem precisar ver aquela bandidagem toda, aquela apelação erótica nas praias, aquelas cenas deploráveis de gente morando nas ruas, além das cadeias superlotadas.
         Nem as novelas escapam mais da baixaria, da apelação, da violência, do crime. É quase uma continuação dos telejornais.
         Como se preparar para o Natal com este espírito?
         Fazer de conta que não vê, não sabe, não ouve?
         O Planeta se rebelando, o Apocalipse martelando na cabeça e o homem teimando em fazer de conta que não é com ele.
         Linda Fernanda ensinando a preparar meias para os visitantes não contaminarem sua casa com os sapatos. E o Irã preparando sua bomba atômica.
         Um blog que faz a apologia das sacolas de pano, que é sempre politicamente correto , enquanto aqui uma "mãe" e seu amante abusam de um bebê de 1 ano e ainda enchem seu corpinho com cocaína até matá-lo. É revoltante.
         Por tudo isso (e muito mais!) Fernanda, foi um alívio ler seus textos, saborear suas receitas (aqueles figos!) e saber que em algum lugar do mundo ainda existem pessoas de bem, que curtem seu lar, sua familia, seus valores; que gostam de ler, de boa música, de gentileza, de educação.
          Quem sabe por causa dessas pessoas demore um pouco mais para acontecer um segundo Dilúvio ou o Fim dos Tempos.
           Por aqui, amiga, a coisa anda feia!
             

3 comentários:

Ivana Maria disse...

Ow amiga, é realmente muito triste quando a realidade se aprensenta tão cinza, chegamos até a questionar o motivo da existência humana já que alguns são capazes de tornar a terra tão insuportável para todos. mas devemos sempre voltar o olhar para pessoas de corações bons que nos aliviam a alma. Um grande abraço, minha querida. Obrigada por também aliviar um pouco também a minha. bjs

Fernanda disse...

Minha querida Maria Luiza...nem sei muito bem como expressar a minha surpresa perante um texto que me coloca no lado de lá de um mundo tão negro...!
Como leu, com certeza, nem tudo no "meu mundo" são rosas; por ex. falar de política é um espinho e toda a vez que eu toco num destes nervos sensíveis os comentários baixam. Não vivo com a cabeça enterrada na areia, por aqui tb há pobreza ( e como tem aumentado com esta crise!),e desemprego e com isso a criminalidade vai aumentando. Nada comparado com o que se passa e passou no R.J. , mas pergunto-me se não chegaremos lá, muito brevemente!

Na verdade, penso que aquilo que me salva é a minha filosofia de vida; valorizar, e sentir-me grata pelas coisas que tenho, mesmo pelas mais pequeninas, ser solidária na medida das minhas possibilidades, e saber conciliar os sentimentos ambivalentes que a minha felicidade e o mundo exterior me provocam. Equilíbrio delicado, bem sei.

Obrigada pelas suas palavras, Maria Luiza, e desejo realmente que o espírito de Natal possa ainda encontrar uma pequena brecha no seu coração, por onde entrar e realizar o verdadeiro milagre natalino: o do nosso renascimento.

Grande abraço, do lado de cá do oceano.

sofia-educarcomcarinho disse...

Cheguei aqui pelo blog da Fernanda e adorei conhecer o seu cantinho. Gostei muito da sua forma de escrever.
Espero que o espírito de Natal consiga apesar de todo dar alegria ao seu coração mais um ano

Um beijo