terça-feira, 8 de novembro de 2011

- EI, ESTE DIA É MEU!



Acho interessantes os dias sete de setembro, oito de outubro, nove de novembro, dez de dezembro. Coisa de professora de português, só pela simetria dos radicais das palavras.
Pois foi num dia nove de novembro que eu nasci. Isso há cinquenta e nove anos. Tempo hein?! Pois parece que foi ontem, pode crer! Lembro de tantas coisas da minha infância, da família, do colégio, dos amigos, da rua, dos namorados, enfim, um baú de memória tão rico que não senti o tempo passar.
Fazer 59 anos é complicado, porque a vizinhança dos 60 faz com que ele quase perca a sua identidade. Acontece que estou na reta final das cinquentinhas, mas ainda não inaugurei a década de sessenta, isso só no ano que vem.
Poderia colocar aqui a crônica do ano passado e a diferença seria mínima, no entanto, achei melhor me despedir dos cinquenta de forma bem personalizada e vou elencar algumas peculiaridades da data.
Fazer 59 anos, em primeiro lugar, é ficar acenando para os 60, tentando descobrir o que significa realmente ingressar na “melhor idade”.
Por outro lado, esclarecer a todo o momento que “ainda não chegou lá” e, portanto, a fila dos idosos e o estacionamento privativo não figuram entre seus direitos (que pena!).
A guerra contra a gravidade continua, com pequenas vitórias graças à musculação e outras derrotinhas previsíveis.
No bolo de aniversário as velas passam a ser sopradas pelos netos, várias vezes, como se a vovó não tivesse mais fôlego para isso. E a gente adora!
Os filhos começam a ostentar têmporas prateadas e somos quase convencidos de que eles chegaram mesmo à idade adulta e não precisam mais de tanta proteção.
Quem tem mãe viva, como eu, fica tentando eternizá-la, observando seus traços, suas expressões, comparando com a mãe da sua infância, a mãe namorada do seu pai e agradecendo a Deus a bênção de tê-la por perto, sempre preocupada com os filhos, mimando os netos e os bisnetos.
Nessa idade, como a partir dos cinquenta anos, a saúde passa a ser o bem maior e a segurança uma preocupação constante. Haja reza para pedir proteção à família nesses tempos violentos!
Com 59 anos – hoje completados – preparo o lançamento do meu segundo livro de crônicas, participei de seis antologias só neste ano, estou na Feira do Livro de Porto Alegre, do Rio, de Minas, de Canoas e de São Paulo e isso, para mim, não é pouca coisa!
Ganhei página inteira do Caderno Donna do Diário Catarinense, aguardo o resultado de dois concursos de contos e dia 25 de novembro estarei em Piracicaba para receber o colar do Mérito Literário do Clube dos Escritores de lá.
Para quem ama as letras como eu, não há como deixar de festejar este último ano da década dos cinquenta!
Mais de trezentos amigos no Facebook, mais de sessenta seguidores no blog, mais de treze mil acessos aos meus textos, é razão de sobra para comemorar!
Além disso, tem dona Conceição; tem Luciano, Cristiano e Carlos Eduardo; tem Lucas e Bruna encantando tudo e a paciência infindável do Paulo para ajudar a celebrar!
Parabéns então Maria Luiza! Fazer 59 anos, como se vê, pode ser muito bom também!


9 comentários:

felix disse...

parabéns maninha!
na verdade tua produção literária é sempre digna de louvores.abraços.nelson

Nilza disse...

parabéns!

depois dos 50 todos os dias são nossos.

beijos

Nilza

Anônimo disse...

Maria Luiza,felicidades,saúde, amor,juntoa aos que te são caros.E
que continues nos brindando com teus escritos maravilhosos. bjs.Gladis Laydner

Flavio disse...

Parabéns, amiga querida! Que tua carreira continue pródiga nas letras e na vida familiar!
Um abração do conterrâneo!
Flavio

Anônimo disse...

Parabéns,querida!!!
você merece tudo de melhor!!muita saúde e paz...
como sempre as produções literárias são impecáveis.Acompanho tudo sempre!!!bjs carinhosos
Patrícia Vidaletti

Ana Luiza Carivali disse...

Parabéns,que maravilha colher o que plantaste ao longo dos anos,sucesso,é para poucos,aqueles que realmente fazem acontecer.Continuar,esta tbm,saõ para pessoas que nunca desistem de seu ideais.Um abraço Alegretense.Ana Luiza Carivali.

Blog do Nível 1 p1 disse...

Parabéns, Maria Luiza!!! Que o seu dia seja cheio de luz como o Sol que brilha em Floripa.
Você faz aniversário, e eu é que sou presenteada por seus belos textos. Muito obrigada e muitíssimas felicidades. Que Deus lhe abençoe sempre.
Um grande beijo.

francari disse...

É difícil escrever algo especial para alguém especial, por isso vou fazer uso do lugar comum, aquilo que todos dizem nesta ocasião:
Feliz aniversário, com bolo, brigadeiro, guaraná (ou champanhe), mas sobretudo como carinho de todos os teus amores.
Um abração do
Francisco Carlos

Anônimo disse...

Muitas felicidades, Luiza. Elizabete